O PSB protocola a nova chapa eleitoral com Marina Silva e Beto Albuquerque

Com a triste morte de Eduardo Campos ex Governador de Pernambuco e candidato pelo PSB-REDE até o dia do acidente aéreo, existiam várias versões do que ia acontecer dentro desse espaço político. Mas ontem o presidente do PSB, Roberto Amaral, protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o novo pedido de registro de candidatura do partido à Presidência da República, com Marina Silva como cabeça de chapa e o deputado Beto Albuquerque como vice e terminaram as especulações.

Após a publicação do edital com o registro, os demais partidos têm um prazo de cinco dias para pedir a impugnação da candidatura. Depois desse período, o ministro relator João Otávio de Noronha poderá encaminhar o pedido para julgamento em plenário.

No TSE, Amaral disse que uma eventual saída de Marina do PSB no próximo ano, quando a candidata pretende dar continuidade ao processo de criação da Rede Sustentabilidade, depende apenas de sua vontade. Segundo o socialista, o PSB não irá impor a permanência de Marina no partido caso seja eleita.

— Isso é uma decisão dela, nós a abrigamos no PSB em um acordo público e sempre tratamos a Rede como se fosse um partido — disse.

Roberto Amaral afirmou que “por enquanto” não haverá mais mudanças na equipe de campanha do PSB e que as trocas realizadas até agora — com a saída de Carlos Siqueira, por exemplo — foram uma maneira de se “adaptar às novas personalidades” que passam a encabeçar a candidatura. Segundo o presidente do PSB, Renata Campos, a viúva de Eduardo Campos, teria concordado com as alterações.

marina silva beto albuquerque

PUBLICIDADE

— Ela foi comunicada e concorda com os atos do presidente do partido — disse.

O socialista defendeu que a campanha se concentre no que chamou de “triângulo das bermudas”, composto por São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, e na região Nordeste. Roberto Amaral disse ainda esperar que o partido consiga mais recursos para tocar a campanha. A presença de Marina nas campanhas estaduais deverá permanecer limitada aos integrantes do PSB, segundo o socialista.

— A Marina fará todas as campanhas do PSB, pedirá votos para as campanhas do PSB. Não vamos pedir a ela que faça parte das campanhas daqueles que, embora apoiados pelo PSB, não são do partido — reafirmou.

ULTIMA PESQUISA

Na última pesquisa de Data Folha a candidata Marina Silva apareceu com possibilidades de entrar no segundo turno e cabeça a cabeça com a presidenta Dilma Roussef, neste escenario o PSDB com Aecio Neves, ficaria fora do segundo turno, mas ainda falta muito tempo para que esta situação possa ser revertida totalmente, os três candidatos aparecem agora com alguma chance de vitória, e a presidenta Dilma com porcentagem de intensão de votos em redor de 35%.

A rejeição que gera cada um e a decisão dos votantes que definem o voto o dia antes da eleição, vão ser muito importantes na hora de terminar a competição pela presidência do Brasil, já que por se mesmo nenhum candidato a presidência tem votos suficientes para ganhar no primeiro turno.